Como construir uma cultura de feedback na sua empresa

In Gestão de Pessoas by João Henrique Hertel Benedet0 Comments

Para início de conversa, vamos conceituar o que é feedback e demonstrar quais são os seus benefícios para a empresa. Se você procurar a tradução da palavra “feedback”, vai encontrar como resposta a palavra “comentários”. Porém, sabemos que o sentido literal não é o que melhor representa o que esperamos e desejamos com o feedback.

O que realmente estamos esperando do tal feedback é que ele traga para empresa, dentre outros benefícios, o desenvolvimento da mesma e de seus colaboradores, a facilitação na resolução de problemas, a identificação de desafios e dificuldades, além de, e esse um dos pontos mais importantes, a melhora no clima organizacional.

Mas afinal, por que o feedback ainda não é praticado em todas as empresas? Existe uma explicação e, para a surpresa de todos, essa resposta está no tratamento que recebemos de nossos pais. Isso fica claro quando você lembra de quando era criança e ia naquela janta na casa da sua tia. Ao final da refeição, ela te perguntava “Como estava a comida?” e você, inocentemente, respondia “Olha tia, a carne estava realmente muito boa, porém, o macarrão estava duro e sem sal.”. Nesse instante, seus pais, extremamente envergonhados, te dizem “Não seja mal educado!”.

Dessa maneira, crescemos aprendendo que falar a verdade é sinônimo de desrespeito e má educação e no momento em que iniciamos nossa vida profissional, nos vemos obrigados a dar feedbacks e ir contra o que aprendemos desde pequenos. Mas então, o que fazer para construir uma cultura de feedback dentro da sua organização? Existem alguns pontos que, com certeza, irão nortear e facilitar esse processo. Aí vão eles:

Instigue o feedback desde o início
Para que essa prática se torne, de fato, uma cultura dentro da sua empresa, ela precisa ser instigada desde o começo da jornada dos seus colaboradores na empresa. Seja um trainee, um estagiário ou um funcionário que acabou de entrar, todos esses devem ser expostos a momentos de feedback para que tenham essa prática e as proporcionem aos novos entrantes após eles.

Se necessário, marque reuniões e momentos específicos para que o feedback ocorra
Em muitas organizações, por mais que você peça e diga aos outros para que deem e recebam feedbacks, isso não acontece sem um empurrãozinho. Às vezes, esse pontapé inicial deve ser um momento, com data e hora marcada. O ideal é que os feedbacks não necessitem de hora e data específica para ocorrer e aconteçam de maneira natural, porém, até isso se tornar uma cultura na sua organização, ele pode precisar ser mais formal do que o esperado. Algumas ferramentas facilitam o processo, como feedbacks 360º ou feedbacks individuais com cada um da equipe. A ideia, então, é ir tirando esse feed (para os mais íntimos) “marcado” para que se torne algo do cotidiano da empresa.

Fazer que tais momentos sejam constantes
Reforçar a necessidade de dar e receber feedbacks na empresa é crucial para que essa prática se torne uma cultura intrínseca. Logo, é necessário que tais momentos sejam constantes e vistos como algo de extrema importância para a empresa e não apenas uma sugestão ou algo supérfluo na organização.

O líder é o primeiro a pedir feedbacks
    Indo de encontro ao ponto anterior, para ressaltar que passar o retorno das ações dos colaboradores é extremamente relevante para o desenvolvimento do ser humano, o líder da organização deve ser o primeiro a pedir o feedback e, se o processo ainda estiver muito mecânico, deve ser o primeiro a passar o feedback, demonstrando como é feito de maneira construtiva e os benefícios que ele traz para a organização.

Utilizar dinâmicas e facilitadores
    Por último, outra dica para conseguir implementar uma cultura de feedbacks é utilizar dinâmicas e facilitadores nesse processo. Existem muitas ferramentas que auxiliam o processo de feedback e o tornam mais assertivo, como é o exemplo do feedback 360º, anteriormente citado. Caso os colaboradores ainda não estejam acostumados e ambientados com isso, facilitadores podem ajudar também, comandando as dinâmicas para que tragam os resultados esperados.

E lembre-se: O feedback é uma das coisas mais importantes que podemos fazer como líderes, porque é por meio dele que podemos ajudar alguém a se desenvolver. No momento em que não damos o feedback construtivo a alguém, estamos privando aquela pessoa de se desenvolver. Logo, viva a cultura do FEEDBACK!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
João Henrique Hertel Benedet
Gerente comercial e graduando do curso de Administração na Universidade Federal de Santa Catarina
João Henrique Hertel Benedet

João Henrique Hertel Benedet

Gerente comercial em Ação Júnior
Gerente comercial e graduando do curso de Administração na Universidade Federal de Santa Catarina
João Henrique Hertel Benedet

Últimos posts por João Henrique Hertel Benedet (exibir todos)

Leave a Comment